FOTOS / PUBLICIDADE

Eduardo Beltrão Chaves

 



Esta publicitária, que ..... (....) cansada dos grafiteiros que lhe emporcalhavam o muro, tomou a lata de Color Jet na porrada e tirando o lençol da cama fez o outdoor acima pretendendo ganhar algum com isso. Afinal o mercado publicitário carioca já conheceu dias melhores.

***

Ainda lembro bem. Eu tinha meus 8 anos de idade quando ganhei minha primeira máquina fotográfica. Era meu aniversário e minha avó me deu.
Uma BIEKA. Está comigo até hoje. Mais tarde eu arrumei um estojo de couro para ela. Usava filme 120 que ainda existem no mercado. Eu via meu pai tirar muitas fotos da família com uma câmera de fole, nos fins de semana quando íamos no carro dele (geralmente um Chevrolet anos 50 na Barra da Tijuca onde só haviam dunas. Não o motel, mas dunas de areia mesmo. E tatuís (centenas). Não sei se era agfa ou kodak. Na segunda-feira seguinte ele mandava revelar no recém extinto Laboratório Wanda na Praça Monte Castelo perto da loja dele. E aí eu brincava com os carretéis vazios que o Laboratório devolvia. Eram de  madeira naquela época. Daí minha paixão pela fotografia.

Dali, em 1965, quando Rio comemorou o Quarto Centenário a Kodak lançou a RIO-400.E é claro eu ganhei uma. Usava filme 127. Hoje só existem nos museus.

 

Em 1969, a pretexto de fazer um curso de fotografia ganhei de minha  mãe uma Olympus Trip 35. Fiz o curso. Com o - na época famosíssimo fotógrafo (polonês, se não me engano) Azzmann. Se é que se escreve assim seu nome. Na Associação alguma coisa de Fotografia. Talvez fosse Carioca. Na 13 de maio. Se aprendi alguma coisa não sei. O internauta que julgue.

Mas era pouco. E eu queria mais. Eu ODIAVA as Nikon porque eram caras de mais para mim. O ano ? 1970. E eu comecei a juntar grana para comprar uma Minolta SRT-101 que eu namorava todos os dias naquela vitrine enorme do Lutz Ferrando, onde aliás minha avó comprou a Bieka... 
Mas faltava muita grana. Eu tinha digamos 1300 cru-cru (cru-cru é uma moeda imaginária que pode ter sido cruzeiro, cruzeiro-novo, cruzado ou o que for). E a SRT-101 custava algo como 2300 cru-cru. 
Um dia eu vi no jornal uma Nikon por 2000. Não tive dúvida. Fui até lá Era na Rio Branco e o cara já estava fechando a loja, que ficava numa galeria. Acho, não tenho certeza, que se chamava Photokina como a exposição bi-anual na Alemanha. Acho. Perguntei pela câmera e ele me deu outro endereço e disse que eu o procurasse no dia seguinte. Mas confirmou o preço. Chamava-se LIMA e pra quem conhece fotografia no Rio ele continua sendo um ícone. De venda e por saber tudo sobre FILTROS. 
Fui na terça-feira. Tinha completado 20 anos. E juntei todos os presentes em dinheiro. Cheguei à astronômica soma de 1600 cru-cru.

Mas a Nikon era 2000. Toda Preta. Lindíssima. Fantástica. Com Photomic ! Eu me conformaria com uma coisa mais simples porque essa era um sonho. Falei com minha avó - que me iniciou na fotografia, quer queira quer não - e ela completou. Depois minha mãe pagou a ela os 400 cru-cru que faltavam.

E eu fui buscar a Nikon. PRETA. Com estojo de couro. Simplesmente inesquecível.

Em 72 comecei a trabalhar profissionalmente fazendo fotos para uma agência de propaganda. Ganhei uma boa grana e em 74 veio um trabalho mais complicado que exigia uma 6 X 6 e a solução foi uma Yashica. Maravilhosa.

Mas aí eu já comprava as câmeras com meu próprio dinheiro. 

Daí em diante ainda em 74 a Nikon lançou a F2. E não parei mais. Tive umas 10 Nikon diferentes que ía sempre trocando. Até que parei na 8008 que trouxe de Orlando, Florida em 1989. Meio complicada para o meu gosto. Assim que pude comprei a primeira digital. Uma Olympus. E em seguida troquei por uma Mavica da Sony que... gravava DIRETO no diskette !!! Mas a resolução era das mais fracas.

Vendi e comprei uma Nikon 2300 (será esse o modelo ?) que quebrou no dia seguinte à garantia expirar. Mandei consertar e troquei por uma 4300 também da Nikon que estou querendo vender. Quer comprar ?

Nesse meio-tempo me apaixonei pela SoNY T3. E flertei por 4 meses com uma Fuji Finepix que acabei de vender para Santarém em Belém pelo Mercado Livre. Perdi um pouco é verdade mas se pagou.

Pensei em juntar uma grana para comprar uma Canon 20D mas prefiro ficam com essa T3 que boto no bolso da camisa e tem insuperável (até o fim do mês) qualidade !

Olha as fotos das câmeras aí...

***

« RETORNAR
 

Copyright® Eduardo Beltrão Chaves
Criação: Master Site Sistemas